Santos

Curso de Defesa Pessoal capacita mulheres santistas contra eventuais agressões


Santos é a cidade que concentra o maior número de mulheres no País, proporcionalmente, conforme levantamento do Censo Demográfico 2022, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no mês passado. Daí a importância do curso de Defesa Pessoal para o público feminino, criado pela Secretaria da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos (Semulher) em 2019, e com cada vez mais adeptos.

Neste sábado (11), no Centro Esportivo Rebouças, ocorreu a primeira aula do módulo avançado do curso, em novembro. A segunda etapa será no domingo (12). As participantes aprendem técnicas evasivas, como saídas de agarramento e imobilizações, projeção ao solo e ações contundentes, com a utilização das armas naturais do corpo humano.

“Esse curso não é para estimular ninguém a brigar com ninguém. O que pretendemos é fornecer elementos  para que, numa eventual ameaça, vocês consigam sair ilesas”, disse às alunas a vice-prefeita Renata Bravo, secretária municipal da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos. “Não desejamos que qualquer mulher passe por isso, mas é preciso que estejamos atentas”.

INSTRUMENTOS

Ministram o curso o professor de caratê da Secretaria Municipal de Esportes (Semes) Fábio Abreu e a ex-atleta de muay thai e brazilian jiu-jitsu Allane Pinheiro. “São oito horas de atividades, que complementam o workshop que fazemos de defesa pessoal básico. Temos técnicas de choque traumático, rolamentos, imobilizações, não apenas simulações de enfrentamento a agressões. É uma prática de luta de vivência para que elas possam ter instrumentos para se defender”, explica o professor.

O presidente da Câmara de Santos, Carlos Teixeira Filho, acompanhou a aula deste sábado. Ele destinou R$ 20 mil em emendas parlamentares para a realização do curso neste ano — valor que será renovado em 2024. “É estranho dizer isso, mas em um mundo ideal nem deveríamos ter essas aulas. Como a realidade se impõe, é mais do que necessário que as mulheres tenham acesso às técnicas de autoproteção numa eventual agressão”.

POLÍTICA PÚBLICA – O curso é aberto a todas as mulheres, de qualquer idade ou situação. Até mesmo moradores de outras cidades o frequentam. Caso da ex-vereadora — atual suplente da Câmara — de Praia Grande Tati Toschi. “Vim não só para aprender as técnicas, mas também para conhecer e levar essa ideia enquanto política pública para o meu Município”.

Esta iniciativa contempla o item 5 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: Igualdade de Gênero. Conheça os outros artigos dos ODS  



Informações da Prefeitura de Santos

Deixe uma resposta